Automobilismo FórmulaFormula Vee

FVee – Piloto Elisio Netto faz bonito na Formula Fvee e ainda com a Copa Truck virtual

Elisio Netto, tem mostrado que é bom de pista. Seja dirigindo um carro nos circuitos da Fórmula Vee, seja num circuito virtual, o alagoano Elísio Netto, nascido em Arapiraca e residente na cidade de Belém, no agreste alagoano, tem feito bonito e conquistado alguns pódios pelo Brasil afora. Corre, oficialmente, desde os 12 anos, pilotando kart, mas desde os 8 já demonstrava seu amor pelo esporte em corridas de kart indoor (amador), em Maceió e Arapiraca.

Aos 19 anos, ele já subiu ao pódio 26 vezes, em competições nacionais, em Interlagos (SP), sendo 6 em primeiro lugar, 14 vezes em segundo e 6 em terceiro. No último mês, ele teve mais três pódios, mas estes, em campeonatos virtuais promovidos pela Liga Virtual IVRC da Inglaterra e na Vorc Series liga nacional.

No ano de 2020 na sua terceira temporada na Fórmula Vee, o alagoano Elisio Netto, 19 anos, conquistou sua primeira vitória na classificação geral. Ele já havia vencido quatro provas na FVee Júnior, nos últimos anos. E o resultado histórico foi com muita emoção: o jovem piloto cruzou a linha de chegada na frente após rodar na pista e perder várias posições.

“Eu estava na briga pela liderança quando perdi o controle do carro devido a óleo na pista”, conta o jovem piloto, vencedor da primeira bateria. “Mas consegui me recuperar e garantir esse resultado muito importante para mim e para o automobilismo de Alagoas”, diz Elisio. Em 2018, ele foi vice-campeão na FVee Jr, e em 2019 ficou com o terceiro lugar.

O alagoano ainda se destacou por marcar a pole position no treino classificatório, a primeira em sua carreira, e ainda registrou as voltas mais rápidas nas duas provas.

Elisio Netto no Automobilista Gt

Elisio Netto também vem se destacando no automobilismo real e virtual. Detentor de um vice-campeonato da Fórmula Vee Junior (2018), o alagoano natural de Arapiraca tem aproveitado a pandêmia para participar de campeonatos virtuais, onde o mesmo vem se destacando com bons resultados. O último deles na Copa Truck Virtual da liga Vorc Series onde o piloto dominou a primeira bateira com seu caminhão da Volkswagen abrindo 16 segundos para o segundo colocado.

Elisio Netto com os bons resultados nesta competição virtual saiu em 3º lugar na classificação a 1 ponto dos líderes que saem empatados com 34 pontos. O alagoano espera poder mostrar novamente o poder dos caminhões Volkswagen na próxima etapa da competição que ocorrerá dia 09/09 no Circuito 8 de Buenos Aires.

Elisio Netto na Copa Truck Virtual

Além da Vorc Series, o piloto participa de uma competição internacional na liga inglesa IVRC (International Virtual Racing Championship). Onde também se destacou nas corridas de monopostos,protótipos e GT dos campeonatos que a liga promove conquistando dois podiós em 4 etapas que o piloto disputou na liga até então.

 

 

O desafio das pistas reais

 

Na luta para consolidar seu espaço no automobilismo, a corrida mais difícil que ele tem enfrentado é a busca de patrocínio. E nessa, não tem conseguido o mesmo sucesso. Conta, atualmente, com o apoio da VOE Viagens e Turismo e das Farmácias São Tiago, que garantem as passagens do piloto. O resto, inclusive as passagens do acompanhante, são por conta do próprio – o pai e grande incentivador da carreira. A hospedagem, quando dá, é na casa de familiares, para aliviar os custos, que são altos. “Só com aluguel e manutenção do carro, a gente gasta uma média de R$ 5 mil por corrida; tem a inscrição, que é quase R$ 2 mil, e tudo pesa muito no bolso. E basicamente é meu pai que tem bancado isso”, conta o piloto.

O pai, Francisco Elisberto, ficou triste com a ausência do filho na 2ª etapa do campeonato , importantíssima para quem tem chance de assumir a liderança do campeonato, mas não deu. “Batalhamos até o último momento, mas não conseguimos viabilizar sua participação”, diz ele, lembrando que nesse campeonato de São Paulo, Elísio compete nas duas categorias (Junior e Geral), e caso estivesse participando das corridas desta 2ª etapa, teria 8 chances de trazer troféus para Alagoas em apenas dois dias de corridas.

“Apelamos para a sensibilidade dos empresários alagoanos para nos apoiar nessa batalha, para que o Elísio Netto continue representando nosso estado no automobilismo nacional. Solicitamos também um olhar do poder público; da Secretaria de Esporte do Estado e também do município de Arapiraca, terra natal deste piloto talentoso e promissor, para que ele possa continuar levando longe o nome do nosso estado”, apela Elisberto.

Mas, tá difícil. Segundo ele, a situação por aqui parece bem diferente de outros estados, onde pilotos que começaram junto com o Elísio, possivelmente no mesmo nível técnico (e não mais que ele), têm tido o apoio para avançar na carreira, inclusive já disputando provas fora do Brasil.

Cita os exemplos do sergipano Guilherme Figueredo, que hoje corre na Europa, com apoio do banco oficial do Estado (Banese) e de grandes empresas de Sergipe; do paraibano Leo Barbosa que ganha força rumo à Fórmula 1, com apoio de empresas paraibanas e já disputa fora do Brasil; do piloto Rafael Suzuki, que com apoio do governo do estado do Maranhão chegou à Stock Car, assim como o paraibano Valdeno Brito e outros pilotos, em Pernambuco, no Pará, que têm impulsionado a carreira com a força de patrocínios de grandes empresas e o incentivo do Estado.

“Só em Alagoas não há esse incentivo. O Elísio tem potencial, é um piloto promissor, que pode chegar à Fórmula 1. É muito triste ver essa potencialidade desperdiçada por falta de apoio e reconhecimento no próprio estado”, desabafa Francisco Elisberto

O piloto já foca o planejamento para o ano que vem. É tempo de avançar profissionalmente. Mas considera um pouco frustrante essa falta de apoio ao seu trabalho, mesmo sendo o único representante alagoano nessa modalidade. “Acho que Alagoas é o único estado que não tem dado esse tipo de apoio; não ajuda nenhum piloto, e acho que não é por falta de dinheiro. No ano passado, foi noticiado que a Secretaria de Esportes do Estado devolveu R$ 1,8 milhão, aos cofres da União, dinheiro que poderia ter sido usado no incentivo à participação no esporte”, conclui o piloto Elísio Netto

 

 

Fonte: EN Press.

Foto: Divulgação/ Fvee/ Automobilista

Etiquetas

Alex De Peder

Apaixonado pelo Automobilismo, essa paixao me fez criar um site para todos terem a mesma informação que sempre gostei de receber. 'Tudo posso naquele que me fortalece'

Artigos relacionados

Um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar
X