AutomobilismoTruck

Truck – Felipe Giaffone supera dificuldades, conquista 2º lugar na corrida 2 e termina em terceiro na temporada 2021 da Copa Truck

Djalma Pivetta escala cinco posições e sobe no pódio da prova 2 da Super Truck

O domingo em Curitiba foi de comemoração para a equipe Iveco Usual Racing, Felipe Giaffone e Djalma Pivetta subiram ao pódio na última etapa da Copa Truck mesmo sendo prejudicados pelas mudanças de regra de fumaça durante o evento.

Apesar da mudança de regra na sexta-feira, no meio das atividades de pista, a dupla não se abateu, Giaffone foi o segundo colocado na prova 2 após escalar 14 lugares na corrida 1 e terminar em sexto, Pivetta escalou cinco posições e foi o quarto colocado na prova 2 da Super Truck.

Valmir Benavides fez etapa consistente com o 11º lugar na prova 1 e o 9º lugar na corrida 2.

Com o resultado Felipe Giaffone termina a temporada 2021 da Copa Truck com a terceira colocação.

Hisgué

As corridas:

 

Na largada da prova 1 Valmir Benavides passou sem problemas pelo perigoso “S” de baixa e ocupava a sexta posição. Felipe Giaffone saltou 3 posições na primeira volta e já figurava em 17º lugar, Djalma Pivetta ganhou duas posições e era o 23º colocado.

Na segunda Giaffone mostrou que mesmo a polêmica punição por excesso de fumaça não o impediu de ser rápido na prova e já vinha em 14º lugar. Benavides era o 7º colocado.

O destaque da prova era Felipe Giaffone, com uma pilotagem digna de um multicampeão nos trucks, o piloto do caminhão #4 já havia escalado 9 posições em três voltas e tinha o melhor ritmo entre todos os pilotos na pista.

Neste momento Benavides era o décimo e Pivetta o 20º colocado geral e 9º na Super Truck.

Na quinta volta Giaffone já vinha em décimo após superar Benavides, no fim da reta colocou por dentro de Jadson Zini e na saída o da curva 1 e assumiu o nono lugar quando o cronômetro ainda mostrava 14 minutos restantes até a bandeirada.

Era uma corrida contra o tempo, Giaffone precisava vencer para se manter na briga pelo título e se aproveitou de um erro de Beto Monteiro para ficar em oitavo.

Mesmo com todo esforço da equipe Iveco Usual Racing e do piloto do caminhão #4, André Marques seguia em segundo lugar na prova, posição que lhe garantia o título.

Giaffone seguiu acelerando e pressionava Débora Rodrigues, na décima volta o piloto conseguiu superar a piloto do caminhão #7 e vinha em sétimo, um saldo de 13 posições ganhas.

Valmir Benavides se mantinha no top-10 enquanto Pivetta saltava três posições e era o 17º geral e 7º na Super Truck.

Com uma pilotagem heroica, Giaffone completou a primeira prova em Curitiba em sexto lugar, mesmo sendo prejudicado pela mudança de regra de fumaça durante a etapa, o piloto do caminhão #4 não desistiu e entregou o máximo na pista, independente dos desmandos da organização durante a etapa.

Valmir Benavides recebeu a bandeira quadriculada em 11º lugar e Djalma Pivetta na 17ª colocação, 7º na Super Truck.

Na segunda prova Giaffone fez uma largada espetacular e saltou para a segunda colocação na primeira curva. O safety Truck foi acionado após um acidente múltiplo na curva 1, Pivetta teve muita habilidade para desviar dos acidentes e se manteve em 17º lugar geral, Benavides vinha em décimo.

A relargada aconteceu sem incidentes e os pilotos da Iveco Usual Racing mantiveram suas posições.

Na volta seguinte Benavides superou Débora Rodrigues e era o nono colocado, Giaffone se posicionava próximo de Beto Monteiro em busca da liderança.

Djalma Piveta

Três voltas depois Pivetta vinha escalando o pelotão e além de estar em 15º lugar geral era o sexto na Super Truck.

Faltando dez minutos para o fim Giaffone estava a apenas 1 segundo de diferença para o líder Beto Monteiro. Benavides se mantinha na 9ª colocação e Pivetta subia para 14º lugar geral.

Felipe Giaffone sobe ao podio na final

Nos minutos finais Felipe Giaffone passou a ser pressionado por Paulo Salustiano, o piloto truck #55 tentou a ultrapassagem de todas as formas, inclusive batendo na traseira do caminhão #4 na saída da curva 1. Giaffone mostrou muita categoria para segurar o caminhão e receber a bandeira quadriculada em segundo lugar.

Pivetta ganhou 5 posições na prova, foi 13º geral e subiu no pódio com o 4º lugar na classe SuperTruck, Benavides terminou em nono lugar.

 

O que eles disseram:

Foi um ano bacana, começamos com pole em Goiânia e depois a coisa desandou um pouco. Nas últimas 4 etapas as coisas melhoraram bastante, o caminhão não quebrava, estava impecável. Precisamos melhorar um pouquinho ainda para brigar com as outras duas montadoras. Estou feliz com a temporada, acabar o ano em terceiro, brigando pelo campeonato e como maior escalador do dia. Uma pena a desclassificação ontem que nos tirou da briga pelo campeonato.”

Felipe Giaffone

“Essa jornada é muito satisfatória. Tínhamos caminhão para ganhar a prova, mas fomos prejudicados. Sai do fundo do grid e consegui escalar até o pódio e fechar o ano com um bom resultado! 2022 estaremos de volta e ainda mais fortes.”

Djalma Pivetta

 

Fonte: LF Press.

Foto: Rafael Catelan

Alex De Peder

Apaixonado pelo Automobilismo, essa paixao me fez criar um site para todos terem a mesma informação que sempre gostei de receber. 'Tudo posso naquele que me fortalece'

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
X